Rede de televisão online da USP lança cinco canais temáticos online e libera acervo com mais de 7 mil vídeos

Depois de cinco anos em fase experimental, a IPTV USP entra na segunda fase de execução e promove o lançamento de cinco canais de televisão online simultâneos. São os canais: Arte e Cultura, Saúde, Ciência, Tecnologia e TV USP, se firmando como uma eficiente ferramenta para disseminar conhecimento e democratizar o conteúdo produzido na Universidade.

Na primeira fase, iniciada em 2007, a IPTV (sigla para Internet Protocol Television) tinha duas grandes marcas: a transmissão de eventos que ocorriam na USP – como palestras, conferências e encontros – e um acervo de vídeos feitos sob demanda. Essas modalidades permanecem e acrescentam-se os novos canais.

Na cerimônia de lançamento, que aconteceu na sexta-feira (21), o coordenador da IPTV, professor Gil da Costa Marques, ressaltou a importância do projeto, bem como os ganhos para a comunidade em geral. “É uma grande realização para a Universidade, que colocará à disposição da sociedade, tudo o que vem produzindo”, afirma o professor. Para ele, o conteúdo é de “uma riqueza monumental, muito grande e importante”, completa.

O conteúdo da IPTV USP é
de uma riqueza monumental.

Coordenadora do novo projeto da IPTV, a professora Regina Melo Silveira adere ao discurso de Marques. “É um projeto que permite o acesso democrático ao conteúdo que se produz na USP”, comenta, apontando para o cumprimento de um dos papéis da universidade pública.

Todo o conteúdo será aberto, gratuito e irrestrito, exceto alguns vídeos voltados a disciplinas específicas, como, por exemplo, uma cirurgia em que a identidade do paciente deve ser preservada. A nova plataforma suporta até 100 mil acessos simultâneos e todos os vídeos estarão disponíveis para download.

Acervo e Pioneirismo

Professor Gil da Costa Marques | Foto: Assessoria de Imprensa da Reitoria

Com a inauguração desta segunda fase do IPTV, a USP tem atuação pioneira no Brasil e no mundo com relação aos canais de televisão online. “Não conheço outras iniciativas tão ousadas em outras universidades como esta da USP”, relata Marques. “Nos Estados Unidos isso existe, mas são canais mais voltados para o público universitário, que mora nas faculdades. Nosso projeto é mais voltado para a sociedade, para divulgar conhecimento e melhorar a cultura científica do país”, completa.

Temas de interesse de todos e que
podem ser facilmente compreendidos.

Outro ponto de destaque para o coordenador é o envolvimento da comunidade USP na produção de conteúdo. “Temos muitos recursos aqui, vindos da ECA, da Poli, da Medicina. É uma riqueza que nos eleva a outro patamar na produção em nível digital”, acrescenta Marques.

Com os cinco anos da fase experimental, o acervo reúne uma biblioteca de mais de sete mil vídeos e conta com uma integração ao Portal e-Aulas, que coloca à disposição do público videoaulas de professores da USP. Parte dessas aulas serão transmitidas nos canais durante a programação diária, respeitados os critérios de interesse e complexidade.

Segundo o docente, as disciplinas devem ser “interessantes para o público geral e não tão difíceis de entender, para que o conteúdo não fique restrito aos acadêmicos. Temas como astronomia, artes e saúde, são temas de interesse de todos e que podem ser facilmente compreendidos”, explica.

Canais

Foto: Reprodução

Todos os canais terão programação 24 horas por dia, sendo que novos conteúdos serão gerados a cada 6 ou 8 horas, dependendo do canal. Algumas unidades terão papel de destaques em alguns deles. O canal “Saúde”, por exemplo, será gerenciado pela Faculdade de Medicina (FMUSP) e conterá programas como “conheça o SUS”, “saúde e mistérios” e “dia a dia com a saúde”.

Já o canal “Arte e Cultura” será gerido pela Escola de Comunicação e Artes (ECA) da USP e terá uma produção diária inicial de seis horas. Nele estão presentes manifestações de artes cênicas, artes visuais, audiovisual, informação cultural e memória, jornalismo, e música, entre outros temas. O canal “Tecnologia” terá forte contribuição da Escola Politénica (Poli) da USP e conta em sua grade com programas como “história da tecnologia” e “princípio de funcionamento de equipamentos”.

O canal “Ciências” é um dos mais abrangentes e terá duas horas de aulas (do Portal e-Aulas) diárias, além da produção que inclui “história da ciência”, “biografias” e “esclarecimentos sobre desenvolvimentos científicos recentes”.

Foto: Reprodução

TV USP, que existe desde 1997, continuará com a produção de suas reportagens e programas como “Caminhos”, que trata sobre turismo alternativo e “Quarto Mundo”, produzido por alunos do ensino médio em parceria com alunos da ECA. Outros núcleos da TV USP, como o de Bauru, Ribeirão Preto e Piracibaca também terão intensa colaboração na produção de conteúdo para o canal.

Acesse os canais da IPTV USP e confira eventos ao vivo, e um acervo de palestras, conferências e aulas de professores da USP.

Fonte: Site da USP

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s