45º Festival de Brasilia do Cinema Brasileiro

Por Glaucia Lira

A partir de hoje (17),  até o dia 24, a curiosidade e a expectativa tomam conta de cinéfilos e principalmente de cineastas, diretores e atores do país. Neste período acontece o mais antigo festival de cinema do país, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que este ano está em sua 45ª edição.

Na abertura do festival, hoje à noite, o filme brasiliense A Última Estação, de Marcio Curi, será exibido para convidados.  O secretário executivo do Ministério da Cultura, Vitor Ortiz, participará da cerimônia que será realizada na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro.

Filme ‘A Memória que me contam’, direção de Lucia Murat

Com apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), o festival apresentará na mostra competitiva três curtas e dois longas metragens por noite. Os filmes participantes são inéditos e divididos nas categorias ficção, documentário e animação.

Disputa pela premiação

As sessões ocorrerão às 19h e às 21h, simultaneamente na Sala Villa-Lobos e nos Teatros de Sobradinho, SESC Newton Rossi Ceilândia, Paulo Autran SESC Taguatinga e SESC Gama.  As obras no Cine Brasília – onde as edições anteriores eram realizadas –  não terminaram em tempo de receber o festival.

A disputa pelo prêmio de R$ 250 mil do júri oficial para melhor longa metragem de ficção será entre produções do Rio de Janeiro e de Pernambuco, sendo três produzidas por cada estado. Do Rio de Janeiro concorrem A Memória Que Me Contam, de Lucia Murat; Esse Amor Que Nos Consome, de Allan Ribeiro; eNoites de Reis, de Vinicius Reis. Já Boa SorteMeu Amor, de Daniel Aragão; Eles Voltam, de Marcelo Lordello; e Era Uma Vez Eu, Verônica, de Marcelo Gomes, são produções pernambucanas.

Na competição de melhor documentário estão os filmes Doméstica, de Gabriel Mascaro; Elena, de Petra Costa; Kátia, de Karla Holanda; Olho Nu, de Joel Pizzini; Otto, de Cao Guimarães; Um Filme Para Dirceu, de Ana Johann.

Além da mostra competitiva, os cinéfilos poderão acompanhar as produções das mostras paralelas: Brasília, Panorama

Filme ‘Boa sorte, meu amor’, direção de Daniel Aragão

Brasil, UnB e o Cinema e Brasília 5.2 – Cinema e Memória – É Tudo Verdade, que acontecem no período da tarde.

Oficinas e seminários

Outras atividades como seminários, fórum do cinema infantil e debates também fazem parte da programação.  O papel da crítica, a história do cinema na Universidade de Brasília, os diversos gêneros cinematográficos, a necessidade de promover o cinema infantil no Brasil e os caminhos da concepção e produção das séries de TV serão temas dos encontros.

Confira a programação completa do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Fonte: Site MinC

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s